Publicado Por :

Julien Diogo

Trancoso

EPTrancoso e PsicoSoma em parceria

EPTrancoso e PsicoSoma em parceria 800 800 Julien Diogo

A PsicoSoma formou parceria com a Escola Profissional de Trancoso no âmbito da Formação Pedagógica Inicial de Formadores B-Learning.

Com esta parceria a PsicoSoma avança com a possibilidade de desenvolver ações de Formação Pedagógica Inicial de Formadores B-Learning, formações essas que permitem o acesso ao CCP.

“Queremos estar perto das várias localidades que nem sempre são lembradas pelas empresas, assim, reforçamos a nossa presença numa região que apresenta potencial e desejo de mais”, afirma Julien Diogo, um dos sócios da PsicoSoma.

Está agendada a primeira Formação Pedagógica Inicial de Formadores B-Learning para os meados de julho deste ano, sendo que a mesma irá acontecer em horário pós-laboral nas instalações da Escola Profissional de Trancoso.

NeuroEducacao

NeuroEducação?

NeuroEducação? 800 800 Julien Diogo

O aparecimento e desenvolvimento do conhecimento e tecnologias de Neurociência Cognitiva ganharam força nos últimos anos.

ler mais

Servicos

Catálogo Serviços PsicoSoma

Catálogo Serviços PsicoSoma 800 800 Julien Diogo

A PsicoSoma apresenta o seu Catálogo de Serviços, documento no qual poderá descobrir um pouco mais da nossa esfera de ação.

ler mais

Salas

Salas PsicoSoma

Salas PsicoSoma 3694 1367 Julien Diogo

Um espaço onde o conforto, amplitude e mobilidade são as palavras de ordem, com salas capazes de responder a necessidades diversas, grupos pequenos, grupos de maior dimensão, reuniões e até espaços de trabalho.

Possuímos várias Salas para a prática de formação, reuniões e/ou serem escritórios por um dia, uma semana ou meses.

O nosso espaço fica em Viseu, bem como no Centro da cidade, na Rua Miguel Bombarda, n36.

O nosso espaço possui Wi-Fi Grátis, acesso a WC (Homens/Mulheres), e ainda sistema AVAC (Ar Condicionado).

Ambas as salas têm validação do IEFP para a Formação Pedagógica Inicial de Formadores, e ambas estão certificadas pela DGERT na lógica da Certificação PsicoSoma.

Para mais informações e preços poderá contactar 00351 232 431 060 ou enviar email direto para info@psicosoma.pt 

? 2 Salas de Formação
https://psicosoma.pt/salas-de-formacao

? 1 Sala de Reuniões
https://psicosoma.pt/sala-servicos

? 1 Espaço Escritório
https://psicosoma.pt/sala-servicos-escritorio

Mais informações
? info@psicosoma.pt ? 232 431 060
? https://psicosoma.pt

 

autismo

Processos de melhoria podem ser influenciados pela música

Processos de melhoria podem ser influenciados pela música 680 453 Julien Diogo

Investigadores franceses e canadianos descobriram que a melhoria está relacionada com ligações cerebrais estimuladas pela música.
Um estudo publicado esta semana na revista científica Translational Psychology sugere que atividades musicais, como cantar e tocar instrumentos, pode melhorar habilidade de comunicação de crianças autistas.

ler mais

Levantamento Necessidade 16.11.09

Levantamento de Necessidades Formativas

Levantamento de Necessidades Formativas 1587 2245 Julien Diogo

A PsicoSoma está a realizar o levantamento de necessidades de formação com o objetivo de desenvolver uma oferta formativa que dê resposta às necessidades específicas dos profissionais e organizações dos diferentes setores. Os dados recolhidos destinam-se a tratamento estatístico e são para uso exclusivo da PsicoSoma.

O levantamento de necessidades de formação constitui uma etapa fundamental da adequação da oferta formativa às suas necessidades. Nesse sentido, a sua colaboração no preenchimento do questionário que se segue é de grande importância para o nosso trabalho. Ajude-nos a formar o melhor possível!

Iremos assim desenhar o Catálogo Formativo para 2019 com foco nas necessidades, expectativas e objetivos.

O questionário não levará mais do que 5 minutos a ser preenchido. 

Podem aceder e preencher o Levantamento no link abaixo
Questionário de Levantamento de Necessidades Formativas

Neuronios_Hipocampo

Somos capazes de criar novos neurónios em qualquer idade com um simples exercício

Somos capazes de criar novos neurónios em qualquer idade com um simples exercício 1960 1960 Julien Diogo

Somos capazes de criar novos neurónio, inclusive na idade adulta. A descoberta é relativamente nova, porque se pensava que nascíamos com um determinado “banco de neurónios” que ia diminuindo com o passar do tempo e que não éramos capazes de aumentar. No entanto, as últimas descobertas da neurociência derrubaram essa crença. Nosso cérebro é plástico: podemos criar conexões diferentes e inclusive, em algumas áreas, como o hipocampo, podemos fazer com que novos neurónios nasçam, como explica o professor Terry Sejnowski, do The Salk Institute for Biological Studies. Assim, temos margem de manobra, independentemente da idade. Uma boa notícia!

O hipocampo tem a forma de cavalo-marinho e é um dos responsáveis por nossa memória e nossa capacidade espacial. As pesquisas sobre o hipocampo começaram com roedores: várias imagens foram mostradas aos ratos, que tinham que diferenciá-las. Quando os roedores aprenderam a distingui-las depois da prática, observou-se que novos neurônios haviam sido gerados em seu hipocampo. Curiosamente, se o animal parasse de fazer esse exercício, os neurónios jovens desapareciam. E se retomasse a actividade, voltavam a aparecer. Assim, já temos uma pista importante: a prática repetida ajuda a gerar novos neurónios em nosso hipocampo. Mas se tivéssemos de decidir qual atividade nos permite realmente manter nosso cérebro jovem, Sejnowski não hesita: o desporto é o melhor presente que podemos nos dar, é o melhor medicamento antienvelhecimento para nossa massa cinzenta.

Sabíamos que praticar desporto é uma maneira de cuidar do nosso corpo e reduzir o stress, graças às danças hormonais desencadeadas pela dopamina, serotonina e noradrenalina. Mas pesquisas mais recentes mostram que o exercício também melhora a secreção do fator neurotrófico cerebral (o que influencia positivamente na memória e em um estado de ânimo mais positivo) e permite que novos neurónios nasçam em nosso hipocampo. No entanto, apesar de suas vantagens, não parece haver muita sensibilidade na relação entre aprendizagem e o desporto. De fato, o exercício físico nas escolas é frequentemente visto como uma disciplina fácil de aprovar e sem muito valor. Mas estávamos errados. Educar crianças e adultos nos desportos não apenas ajuda nosso corpo a estar melhor e mais saudável como também ajuda nosso cérebro a permanecer mais jovem e com capacidade de gerar novos neurónios. E, como Sejnowski resume, “a academia e a recreação são as partes mais importantes do currículo”.Neuronios_Hipocampo

Então, se nosso cérebro é capaz de gerar novos neurónios com o desporto, o que precisamos fazer para que isso aconteça? Bem, mais uma vez, frequência. Como os especialistas sugerem, precisamos praticar exercícios três vezes por semana, com duração mínima de 30 minutos. Portanto, pense em você. Qual a sua relação com o desporto? Se não é exatamente um amor constante, vale a pena lembrar as vantagens físicas e neuronais, buscar um exercício bom para você, com um grupo de amigos se você tem dificuldade para se motivar sozinho e calçar os ténis. Seu hipocampo agradecerá.

FONTE: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/10/27/ciencia/1540643073_895649.html?fbclid=IwAR2GZUA6obVA1D5tUrAEGAThV_O8h_VYYw5fI-jSTPPaKzOW7n58QYN2bHE

Lego_2

Lego cria modelo para obrigar millennials a largarem os smartphones: Libertar a Tensão através da Criatividade

Lego cria modelo para obrigar millennials a largarem os smartphones: Libertar a Tensão através da Criatividade 823 515 Julien Diogo

A pensar no mercado dos “kidults”, a Lego desenhou uma colecção que pretende libertar os jovens adultos da tensão da rotina através da criatividade

ler mais

amygdala-fear-breathing-public-neurosciencenews

Ritmo da respiração afeta a memória e o medo

Ritmo da respiração afeta a memória e o medo 750 708 Julien Diogo

Resumo: Um novo estudo relata que o ritmo da  respiração pode influenciar a atividade neural que aumenta a lembrança da memória e o julgamento emocional.

Fonte: Universidade do Noroeste.

Respirar não é apenas oxigénio; está agora ligado à função e comportamento do cérebro.

ler mais

baby-toys-language-public

Brinquedos electrónicos para lactentes que produzem luzes, palavras e músicas foram associadas a uma diminuição da quantidade e qualidade de língua em comparação com os livros ou brinquedos tradicionais, como um quebra-cabeça de madeira, uma forma-Separador e um conjunto de blocos de borracha, de acordo com um artigo publicado Online pela jama pediatria.

Brinquedos electrónicos para lactentes que produzem luzes, palavras e músicas foram associadas a uma diminuição da quantidade e qualidade de língua em comparação com os livros ou brinquedos tradicionais, como um quebra-cabeça de madeira, uma forma-Separador e um conjunto de blocos de borracha, de acordo com um artigo publicado Online pela jama pediatria. 750 500 Julien Diogo

Brinquedos electrónicos para lactentes que produzem luzes, palavras e músicas foram associadas com diminuição da quantidade e qualidade de língua em comparação com os livros ou brinquedos tradicionais, como um quebra-cabeça de madeira, uma forma-Separador e um conjunto de blocos de borracha, de acordo com um artigo publicado Online pela jama pediatria.

ler mais

Neuronios

Os tipos de neurónios existentes no cérebro são definidos pela atividade genética moldando assim os seus padrões de comunicação

Os tipos de neurónios existentes no cérebro são definidos pela atividade genética moldando assim os seus padrões de comunicação 750 291 Julien Diogo

Um novo estudo celular relata a base genética-molecular dos tipos de células neurais. O estudo relata que famílias de genes que codificam proteínas envolvidas na neurotransmissão definem os neurónios determinando a quais células eles se conectam e como se comunicam.

ler mais

autismo

Estudo aponta que a música melhora a habilidade de comunicação nos autistas

Estudo aponta que a música melhora a habilidade de comunicação nos autistas 680 453 Julien Diogo

Pesquisadores franceses e canadenses descobriram que melhora está relacionada a ligações cerebrais estimuladas pela música
São Paulo — Um estudo publicado esta semana na revista científica Translational Psychology sugere que atividades musicais, como cantar e tocar instrumentos, pode melhorar habilidade de comunicação de crianças autistas.

ler mais

  • 1
  • 2