Publicado Por :

Julien Diogo

Covid19

Cuidados a ter – Covid 19 (Novo Coronavírus)

Cuidados a ter – Covid 19 (Novo Coronavírus) 800 800 Julien Diogo

Seguindo as indicações da Direção-Geral da Saúde (DGS), visando o bem-estar de todos os envolvidos nas experiências formativas PsicoSoma, bem como do seus colaboradores, a PsicoSoma lembra algumas indicações avançadas pela DGS.

O COVID-19 foi identificado pela primeira vez em humanos em dezembro de 2019, na cidade de Wuhan, na provincia de Hubei, na China. A transmissão pode ser feita de pessoa-a-pessoa e o tempo de incubação do vírus pode durar até 14 dias. Os sintomas são semelhantes a uma gripe ou podem evoluir para uma doença mais grave, como pneumonia.

Sintomas

O período de incubação do COVID-19 é de 2 a 14 dias. Se uma pessoa permanecer saudável 14 dias após contactar com alguém confirmadamente infetado por COVID-19, é pouco provável que tenha sido contagiada. De forma geral, estas infeções podem causar sintomas mais graves em pessoas com sistemas imunitários mais fragilizados, pessoas mais velhas, e pessoas com doenças crónicas como diabetes, cancro e doenças respiratórias.

Captura de ecrã 2020-03-09, às 16.06.24

Transmissão

A transmissão do COVID-19 acontece quando existe contacto próximo (num raio de 2 metros) com uma pessoa infetada. O risco de transmissão aumenta quando maior for o período de contacto com uma pessoa infetada.

As gotículas produzidas quando uma pessoa infetada tosse ou espirra (secreções respiratórias que contêm o vírus) são a via de transmissão mais importante. Existem duas formas através das quais uma pessoa pode ficar infetada: As secreções podem ser diretamente expelidas para a boca ou nariz das pessoas em redor (num raio de 2 metros) ou podem ser inaladas para os pulmões; Ao tocar em superfícies ou objetos que possam ter sido contaminados com secreções respiratórias e depois tocar na sua própria boca, nariz ou olhos.

Cuidados a ter

Captura de ecrã 2020-03-09, às 16.05.00

Quando estiver nas instalações PsicoSoma em contexto de formação, siga as presentes indicações

A PsicoSoma desenvolveu um Plano de Higienização do seu local, reforçando as medidas e a segurança de todos. Pode consultar o mesmo AQUI

Existem princípios gerais que qualquer pessoa pode seguir para prevenir a transmissão do COVID-19:

  • Lavar as mãos com frequência – com sabão e água, ou esfregar as mãos com gel alcoólico se não for possível lavar as mãos.
  • Tossir e espirrar para a prega do cotovelo, ou para um lenço de papel que deverá ser deitado fora. Não se deve tossir nem espirrar para o ar ou para as mãos.
  • Os participantes e colaboradores que sintam tosse, febre ou dificuldade respiratória devem permanecer em casa e não se deslocar para o seu local de trabalho ou centro de formação.
  • Os participantes, colaboradores e visitantes devem lavar as mãos:
    • Antes de sair de casa
    • Ao chegar à PsicoSoma
    • Após usar a casa de banho
    • Antes de sair da PsicoSoma
    • Utilizar um gel alcoólico que contenha pelo menos 70% de álcool se não for possível lavar as mãos com água e sabão.
    • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca sem ter lavado as mãos.
    • Evitar contacto próximo com pessoas com tosse, febre ou dificuldade respiratória.
    • Limpar e desinfetar frequentemente objetos e superfícies de utilização comum.

Linha de Apoio SNS 24

Se tiver sintomas ou dúvidas deve contactar a Linha SNS24: 808 24 24 24.

Captura de ecrã 2020-03-09, às 16.06.34

Saiba mais em / Perguntas Frequentes

Captura de ecrã 2020-03-09, às 16.11.11

 

Programa de Afiliados PsicoSoma

Programa de Afiliados PsicoSoma 1080 1080 Julien Diogo

A PsicoSoma tem agora o seu Programa de Afiliados através do qual visa aumentar a sua networking, bem como recompensar quem promove o nome e as experiências PsicoSoma no ambiente digital.

O Programa de Afiliados PsicoSoma permite ao utilizador devidamente registar ganhar dinheiro ao recomendar os nossos livros e formações. Só tem de disponibilizar um espaço no seu site, blog, newsletter ou outro canal à PsicoSoma.

Na qualidade de afiliado terá um id (Nome de Utilizador de Afiliado) que o identifica e que deve estar presente em todos os links da PsicoSoma que tiver no seu canal.

Quando um dos visitantes ao seu conteúdo clicar num desses links e efetuar uma compra na PsicoSoma, é lhe atribuída uma comissão de 5% a 10% sobre o valor dos produtos.

Conheça tudo no espaço Afiliados no espaço superior do site, e no documento abaixo.

A Formação & Pandemia – 5 dicas para otimizar tempo e organização

A Formação & Pandemia – 5 dicas para otimizar tempo e organização 800 800 Julien Diogo

Faz em março 2021, um ano que a quarentena começou oficialmente em Portugal. Março, o mês agora conhecido e bastante recordado pela comunidade escolar, pelo mês que fez fechar quase todas as escolas do mundo.

Segundo a UNESCO, até ao final do mês de abril de 2020, 185 países tinham encerrado as suas escolas, afetando 90% dos alunos do mundo. Como refere Ramon O’Callaghan A pressa em avançar para o ensino à distância trouxe alguns riscos associados. Um deles é o das abordagens de aprendizagem não funcionarem bem.”

A necessidade de implementar este tipo de ensino, trouxe ao de cima um conjunto de competências que sendo essenciais para a sua implementação, as crianças, jovens e progenitores não estavam preparados para que elas fizessem parte do seu dia-a-dia. Assim, um conjunto de fatores externos tornaram-se limitadores do referido ensino, tais como, falta de equipamentos digitais (computadores, tablets, impressora, etc.) e a ligação à internet. Este ensino veio acentuar as diferenças já existentes ao nível do país, numa hera onde as tecnologias estão tão avançadas e a evoluir com muita rapidez, ainda temos um desfasamento significativo das grandes cidades, zonas de metrópole para as zonas recônditas do nosso do país.

Sistemas educativos “livres de desigualdades?

Como referido no Observatório das Desigualdades, novembro 2020, consulte AQUI
“Esta pandemia não encontrou sistemas educativos “livres de desigualdades”. Estes contextos institucionais, na sua construção histórica, têm marcas constitutivas de desigualdade. Mesmo sabendo que os recursos que os sistemas educativos geram são essenciais no alargamento de oportunidades educativas e sociais, na promoção da igualdade e mobilidade social (Martins, 2017; Martins et al., 2016), são também muito evidentes as manifestações de desigualdades no seu interior (Green, Preston e Janmaat, 2006).” Ao sistema educativo solicita-se que identifique e assegure o ensino presencial sempre que a criança/adolescente/jovem, não o consiga desenvolver em ensino a distância e que consequentemente mobilize recursos humanos e materiais que viabilizem o referido ensino.

Desigualdades entre os estudantes

Outra solicitação que foi feita e que acentuou as desigualdades entre os estudantes, foi o facto de estes necessitarem que as famílias se reorganizassem no sentido de os orientar, apoiar e acompanhar no processo ensino-aprendizagem. É do conhecimento geral que a organização familiar não é igualitária em todas as estruturas familiares. Visando tornar o ensino mais abrangente e integrador houve a nível mundial uma diversificação de recursos utilizados com o intuito de alcançar todas as crianças e as diferentes realidades mundiais, segundo o Observatório das Desigualdades, novembro 2020, “Em termos mundiais, o estabelecimento do ensino à distância teve formatos e dispositivos também muito distintos. (…) a internet foi o meio privilegiado para o retomar do contacto entre professores e estudantes. Na Europa, e excetuando o pré-escolar, o uso da internet foi de 100% em todos os níveis de ensino. Realidade bem diferente em África, onde esta possibilidade foi, comparativamente, mais reduzida, (…). De uma outra perspetiva, a utilização da internet reforçou-se sempre nos níveis de escolaridade mais avançados. A rádio só foi usada de forma relevante nos países africanos, (…). A televisão foi também um meio muito importante, nomeadamente em países africanos e asiáticos (…) e na Europa, embora tivessem prevalecido os formatos digitais, aquele meio serviu de dispositivo complementar ou de articulação com outros.”

5 Dicas para otimizar tempo e organização em casa

Em todos os momentos nos quais nos deparamos com dificuldades, devemos refletir com objetivo de encontrar estratégias que as ultrapassem. Entendemos que é imperativo organizar um horário com tarefas rotineiras fáceis de serem entendidas pelos estudantes, esse horário deve ser elaborado tendo por base:

1 – As características pessoais de cada pessoa, atendendo à sua necessidade de regulação da atenção, concentração e capacidade de trabalho (Conheça sua Personalidade AQUI e o seu Cronotipo AQUI).

2 – Definir um espaço, onde será realizada a atividade pedagógica/profissional que contemple a possibilidade de agregar os recursos que serão necessários para a executar (Veja AQUI dicas no artigo do CNET).

– Contemplar no horário momentos de paragem (Técnica do Pomodoro – ciclos de 20 minutos de foco atencional total), para a alimentação intermédia, exercícios de relaxamento (devido a postura) e atividades psicomotoras.

– Manter a rotina, contemplando horas de deitar, como de levantar, devendo salvaguardar as horas das refeições, os momentos de laser e o exercício físico, saiba mais AQUI

– Organizar atividades em família, com o intuito de desenvolver e estreitar as relações socio-emocionais.

Neste momento pandémico, que atualmente vivemos, vemo-nos privados dos momentos sociais e emocionais que regularmente vivíamos, pelo que, através dos recursos que temos disponíveis (Telemóvel, WhatsApp, Facebook, Instagram, etc.) deveram ser fomentadas atividades que potencializam essas competências e nos permitam autorregular emocionalmente, a par de prestarmos o apoio que os demais elementos no nosso campo social necessitarem.

Viseu.2021. Artigo escrito por Catarina Gonçalves (estagiária)

Referências

  • Martins, S.C. e Matias, A.R. (2020). Um olhar Sociológico sobre a Crise Covid-19 em livro. 1º edição, Observatório das desigualdades. Lisboa.
  • O´Callaghan, R, F. (2020, 12 de maio). Pós-covid 19: será o online o futuro da educação? Jornal de negócios.

O impacto do estudo em casa nas crianças

O impacto do estudo em casa nas crianças 800 800 Julien Diogo
O impacto do estudo em casa nas crianças merece a atenção, após o surgimento do novo coronavírus, o SARS-CoV-2, que originou  a designada COVID-19, após a sua identificação pela primeira vez em dezembro de 2019, na China.

Com a evolução da atual pandemia, o “Mundo” viu-se obrigado a um recolher obrigatório e ao fecho de todos os estabelecimentos. Quem mais sofre e sofreu com este confinamento? Em parte, as crianças. Tudo aquilo que era designada de rotina, do ir à escola, passou para aquilo que designamos de ecrã, seja de computador ou de um televisor.

O mundo sofreu profundadas alterações, e todos os seres tiveram que se adaptar a uma nova realidade, o passar a estar em casa, as crianças e os jovens viram a sua liberdade condicionada naqueles que seriam tempos de socialização, bem como a presença contínua do “trabalhar” em casa.

Estudar em casa, fazer todas as suas atividades escolares com os pais ou os irmãos, dispositivos disponíveis, que implicações é que esta nova dinâmica terá tido nas crianças?

Segundo Ramalho, V. ( (2021), no seu artigo “Como gerir o impacto do confinamento nas crianças e adolescentes”, publico no Jornal Público (AQUI), “há jovens que sentem um impacto mais negativo dadas as mudanças na dinâmica social e emocional das suas vidas, sentindo-se mais desmotivados, ansiosos e isolados”. “As crianças tiveram que se adaptar ao ensino online, ao facto de não terem a mesma duração de aulas, o não poderem ter os professores presentes no momento e por fim o facto de terem que ser ágeis nas tarefas que lhes são pedidas não lhes é tão benéfico como estarem presencialmente dentro de uma sala de aula”.

O auxílio constante

Algumas crianças não possuem competências digitais orientadas para computadores ou smartphones,  necessitam de apoio constante. Por outro lado, a dificuldade em articular áreas mais práticas, como a unidade curricular de Educação Física, uma disciplina com uma componente muito prática. Em casa torna-se muito difícil as crianças levarem a cabo este tipo de aulas, onde veem reduzida a cognição social, a interação com os pares, bem como a ausência de diversos materiais, e ainda o olhar atento da parte do professor, para uma execucação em segurança e correto atingir dos objetivos.

A ansiedade por mais e melhor

Outro factor, e este negativo, gravita em redor da ansiedade, stress e das birras que as crianças têm. A ânsia por voltar à escola, a ansiedade dos horários, o stress pela atenção e concentração por longos períodos de tempo, promovem mau estar físico, má disposição, reduzindo a sua capacidade atencional nas tarefas. Segundo um estudo desenvolvido por uma equipa do Instituto de Apoio à Criança (IAC) das investigadoras Fernanda Salvaterra e Mara Chora, concluíram que “No que diz respeito à ansiedade sentida pelas crianças, estas manifestaram níveis mais elevados nas situações em que as rotinas familiares sofreram alterações”, in Jornal Expresso (AQUI). O estudo avança ainda que “…quase 54% das crianças afirmou estar preocupada com a saúde dos avós, mas só 30% dos pais se aperceberam dessa preocupação. Noutro caso, 16,2% das crianças disse sentir-se amedrontada, mas só 6,3% dos pais constataram isso.” Existem muitas crianças que precisam de auxílio, porque têm mais dificuldades cognitivas, porque não percebem tão bem aquilo que a professora está a dizer ou a pedir, e isto pode ser um fator muito negativo”. “O isolamento elevou ansiedade para níveis disfuncionais em 10% de crianças em estudo”.

A situação é pior para crianças que vivem com baixos rendimentos, com um acesso à internet reduzido, existem falta de equipamento e, por vezes, não têm espaço em casa. . Um estudo divulgado pela SuperAwesome, empresa americana de tecnologia em meios digitais “crianças entre 6 e 12 anos passaram cerca de 50% do seu tempo de quarentena em frente a telas, ou seja, metade do dia”.

Dicas para um bom desempenho

Segundo a Ordem dos Psicológos – Covid19 Dossier para a Comunidade Educativa – existem algumas dicas essenciais para que exista um bom desempenho das crianças a nível escolar e para que todo o processo seja mais facilitado para os cuidadores.

  • Organizar uma rotina, que obviamente inclua o estudo mas também o lazer;
  • Acompanhar o estudo da criança e promover o estudo autónomo;
  • Respeitar os momentos de intervalo para que as crianças se mantenham atentas durante o período em que estão em aulas;
  • Sempre que possível, diferenciar a zona de estudo da zona de lazer, ou seja a criança deve ter o seu espaço adequado para estudar, e aqui deve ser um espaço iluminado, com uma mesa e uma cadeira e não colocar a criança na zona de conforto, como por exemplo o sofá.
  • É importante que exista o espaço para brincar para que quando a criança tenho o seu momento de intervalo poder usufruir da zona de descanso.

Nunca esqueça que é na escola que se libertam da família, aprendem mais sobre si e sobre o mundo que as rodeia, é onde reconhecem novas ideias e novas formas de se desenvolverem.

Saiba mais no Dossier abaixo.

Artigo escrito por Joana Francisca Gomes Pires (estagiária) – joanafgpires@hotmail.com

PsicoSoma promove edição especial com ISAG

PsicoSoma promove edição especial com ISAG 800 800 Julien Diogo

A PsicoSoma promoveu a formação “Professor, Formador, Facilitador E-Learning” com o ISAG, no passado mês de outubro e novembro.

Nesta experiência formativa, em ambiente totalmente e-learning participaram cerca de 40 docentes do ISAG, das mais diversas áreas pedagógicas, da gestão, à economia ou direito.

“Uma experiência que demonstra a preocupação da instituição e o envolvimento dos docentes face aos novos contextos da aprendizagem 4.0. Foram sessões envolventes, com troca de experiências, reflexões e a exploração de modelos e recursos digitais que permitissem uma dinâmica pedagógica positiva.”, afirma Julien Diogo, facilitador do curso.

Através da experiência “Professor, Formador, Facilitador E-Learning” foram abordados temas como a Aprendizagem 4.0, a Taxonomia do Bloom em ambiente digital, Novas Gerações Novos Comportamentos, a Comunicação digital, como desenhar Apresentações Digitais, Recursos Colaborativas, ou ainda a exploração do Moodle como ferramenta de aprendizagem. No final do curso os docentes levaram a cabo um projeto em ambiente online, com planeamento, estruturação e criação de conteúdos e recursos, visando assim aplicar todo o conhecimento e competências desenvolvidas.

Esta experiência formativa permitiu assim a todos os participantes terem 40h de formação profissional certificada, com emissão via SIGO.

Saiba tudo sobre o curso aqui

2ª Edição Avaliação Diagnóstica na Prática do Serviço Social

2ª Edição Avaliação Diagnóstica na Prática do Serviço Social 960 960 Julien Diogo

Já se encontra disponível a 2ª Edição do livro de José Luís D`Almeida e Paula Sousa – Avaliação Diagnóstica na Prática do Serviço Social. 

O livro lançado em 2017 alcança assim a segunda edição, após uma grande procura por parte dos profissionais do setor social, bem como dos estudantes dessa área.

Um livro que é antes de mais uma ferramenta, capaz de auxiliar os profissionais no seu di-a-dia.

Apresenta uma estrutura em quatro capítulos, dedicados aos Antecedentes e propósitos; O que é o Diagnóstico e a Avaliação; Compreensão da Avaliação no Serviço Social e Meios Auxiliares de Avaliação. Ao longo da obra são apresentados vários conceitos () e ferramentas, como o Culturagrama, Escala de Gijón, Fluxograma, Roteiro de Vida ou ainda a Análise SWOT.

Ao longo da obra os autores apresentam e exploram vários estudos de caso, visando relacionar conceitos, teorias com a prática diária do profissional.

O propósito do livro é assim oferecer um conhecimento das abordagens teóricas mais recentes no campa da avaliação diagnóstica, com a intenção de que as abordagens apresentadas sejam úteis à prática quotidiana.

Pode encomendar o livro em https://psicosoma.pt/editora/avaliacao-diagnostica-na-pratica-de-servico-social/

PsicoSoma em projeto com Escola Profissional de Trancoso

PsicoSoma em projeto com Escola Profissional de Trancoso 800 800 Julien Diogo

A PsicoSoma articulou o projeto formativo “De Professor a Facilitador de TOPO” com os professores e formadores da Escola Profissional de Trancoso, entre setembro e dezembro.

Ao longo de 16horas foram debatidas e trabalhadas temáticas como o Perfil do Facilitador do Futuro, Competências e Atitudes, o processos de Aprendizagem à distância, Dicas de Recursos Didáticos e como Comunicar de forma envolvente na sala.

“Foram sessões durante as quais percebemos que existe uma forte preocupação da Escola e dos envolvidos em atualizar conhecimentos, conhecer novos recursos e dicas para estar em linha com o seu público, os jovens da escola”, afirma Julien Diogo, facilitador que levou a cabo as sessões.

Saber-saber e saber-fazer estiveram de mãos dadas, onde entre conceitos, reflexões surgiram simulações e criações por parte dos envolvidos, visando desenvolver novas competências, e reciclar conhecimentos.

Esta ação de formação enquadra-se na área 146 – Formação de Professores e Formadores, tendo sido desenvolvida de forma presencial, com as respetivas medidas de segurança da DGS em prol da Covid19.

800 800 Julien Diogo

A Católica & Consulting Linked e a PsicoSoma / ICN Agency assinalam uma parceria de sucesso.

Através desta parceria visa-se consolidar a relação tecido empresarial e ensino superior, pela qual os alunos e associados terão benefícios exclusivos.

  • Desconto de 10% nas inscrições Formações Gerais
  • A realização de um evento conjunto sobre Comportamento do Consumidor / Tendências, em parceria CCL e ICN Agency.
  • Criação da Bolsa de Voluntários para futuros estudos e projetos

Católica & Consulting Linked (C&CL) junta estudantes de diferentes áreas de forma a interagirem e criarem abordagens inovadoras em consultoria.

Com a ajuda de especialistas, os estudantes têm a oportunidade de trabalhar em projetos de consultoria reais, e organizar eventos e workshops de forma a desenvolver as suas skills e alargar a sua rede de contactos.

Junta-te ao C&CL: ganha experiência, desenvolve as tuas competências e alarga a tua rede de contactos.

Contactos – e-mail: catolica.consulting.linked@gmail.com 

Previdência Portuguesa e PsicoSoma em Parceria

Previdência Portuguesa e PsicoSoma em Parceria 800 800 Julien Diogo
A Associação Mutualista Previdência Portuguesa surge com produtos de poupança/investimento complementares à Segurança Social.
A Previdência Portuguesa foi fundada em 11 de Janeiro de 1929. Um grupo de homens animados pelo querer e pela vontade que move montanhas pôs ombros à criação de uma Associação de Socorros Mútuos, em Coimbra. Médicos, advogados, funcionários públicos, comerciantes, oficiais do exército, empregados bancários, entenderam que a salvaguarda do futuro da família implicava fundar uma associação que deixasse legados para os familiares dos sócios. Aqueles iam de 5 a 20.000 escudos. Atualmente a associação continua a desenvolver, a título principal, modalidades complementares de segurança social, embora também tenha desenvolvido outras finalidades de apoio social às famílias e protecção na saúde.
A PsicoSoma e a Previdência Portuguesa estabelecem parceria no âmbito formativo e livreiro, com preços especiais para formações (5% de desconto), livros (20%) na aquisição, 10% no aluguer de espaços em Viseu, ou ainda 10% na aquisição do serviço editorial PsicoSoma

Formação de Formadores para empresas

Formação de Formadores para empresas 1080 1080 Julien Diogo

O futuro (presente) trouxe elevados desafios para a Formação Profissional, orientando todos para uma ação pragmática e integradora mais do que nunca urgente.

O desafio da formação via e-elearning ou b-learning é hoje mais do que nunca uma realidade, e acima de tudo, um mar de ferramentas, recursos, materiais, plataformas e adaptações que nem sempre surgem em tempo útil e facilitadas.

Com esta formação visamos assim desenhar um percurso mais saudável, integrado e prático em torno do mundo pedagógico pela via do e-learning. Conte com uma Equipa de Formadores de TOPO no seio da sua organização.

A PsicoSoma conta com mais de 340 Ações de Formação, 4.500 Facilitadores formados, participação em mais de 30 organizações em 25 cidades nacionais, tudo com o suporte dos 12 Facilitadores na Equipa.

A nossa proposta de valor para a sua entidade

O especial foco vai para o desenvolvimento de Competências Pedagógicas, a preocupação no processo de Comunicação e Envolvimento, permitindo aos participantes conhecer o perfil, entender o outro e as dimensões da relação na formação. A Aplicabilidade ao contexto da organização, criando diagnóstico das necessidades da organização, ajustando o Modelo e Dinâmicas, bem como Datas e horários flexíveis.

A nossa metodologia

A PsicoSoma tem dezenas de recursos desenvolvidos em exclusivo para o curso: 7 Manuais de Formação, +10 Vídeos Tutoriais, 5 Desafios Pedagógicos, 3 Podcast, e muito mais, como dinâmicas online via Padlet, Mentimeter e outras plataformas.

O programa adotará, predominantemente, uma metodologia ativa, partindo da exploração de situações reais e aplicando exercícios práticos e simulações, aos contextos vivenciados pelos participantes.

A PsicoSoma utiliza o Meet e/ou Zoom para estabelecer as sessões síncronas, e o Moodle como Plataforma Colaborativa.

A PsicoSoma é uma marca registada com o nº 435074 em território nacional e na Colômbia, é uma entidade formadora acreditada pela DGERT, tem a sua Formação Pedagógica Inicial de Formadores à distância homologada pelo IEFP (segundo Novo Referencial 2012). Pode consultar tal através do acesso ao site www.iefp.pt com a chave C496004.

Ficou interessado para a sua organização?

Contacte info@psicosoma.pt / 232 431 060

Afinal o que é o Certificado de Competências Pedagógicas (CCP)?

Afinal o que é o Certificado de Competências Pedagógicas (CCP)? 960 960 Julien Diogo

Certificado de Competências Pedagógicas (CCP)

O certificado de Competências Pedagógicas capacita qualquer profissional a exercer a atividade de formador. É atribuído pelo IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional e a sua emissão acata um conjunto de requisitos, quer para as empresas homologadas que instruem os cursos de formação inicial pedagógica de formadores, quer para os profissionais que ambicionam a profissão de formadores.

Como ter o CCP?

O CCP pode ser obtido através das seguintes vias de acesso:

• Conclusão, com aproveitamento, de um curso de formação pedagógica inicial de formadores com duração mínima de 90 horas, autorizado pelo IEFP:
• Desenvolvimento de um processo de RVCC-For (Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências pedagógicas). (a disponibilizar brevemente);
• Posse de diploma ou certificado de habilitações de nível superior que confira competências pedagógicas reconhecidas pelo IEFP (artigo 3.º da Portaria n.º 214/2011, de 30 de maio) como equivalentes às desenvolvidas no âmbito da formação pedagógica inicial de formadores (Reconhecimento de títulos).

O que vou aprender?

O curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores, que dá acesso ao CCP, tem a duração de 90H, onde são abordados 9 módulos, cada um deles com 10H.

M1 – Formador: Contextos de Intervenção
M2 – Simulação Pedagógica Inicial
M3 – Recursos Didáticos e Multimédia
M4 – Plataformas Colaborativas de Aprendizagem
M5 – Comunicação e Dinamização de Grupos em Formação
M6 – Metodologia e Estratégias Pedagógicas
M7 – Operacionalização da Formação: do Plano à Ação
M8 – Avaliação da Formação e das Aprendizagens
M9 – Simulação Pedagógica Final

Nos módulos 2 e 9, surgem as autoscopiais, que consistem na simulação de apresentação com duração entre 6 a 8 minutos, no caso do M2, e entre 12 a 15 minutos, no caso do M9, onde o principal objetivo destas autoscopias é melhorar a performance dos formandos, de forma a se tornarem formadores de TOPO.

O que vou desenvolver?

Competências para ser um Facilitador do Futuro, num mercado competitivo e altamente dinâmico, nas suas áreas de atuação profissional e/ou académicas.
Irá desenvolver competências de comunicação, assertividade, Programação Neurolinguística, bem como de resolução de problemas complexos, ou ainda flexibilidade cognitiva face a diversos desafios pedagógicos presentes na experiência.
Será possível promover ainda o desenvolvimento de competências no âmbito da dinamização de grupo e sua gestão, com base em drivers de Neurociência e e Economia Comportamental.
A dimensão digital não é esquecida, e verá as suas competências no âmbito do planeamento e dinamização à distância trabalhadas, como abordagens a recursos como o Quizizz, Pladlet, Mentimeter, Mindmeister, entre outros.

Utilidade para os Profissionais?

O certificado de competências pedagógicas possibilita os profissionais a ministrar formações, ou seja, sem este certificado, não podem promover formação certificada em vários campos, como apoios comunitários.

Documentos necessários?

Para frequentar a Formação Pedagógica Inicial de Formadores, e assim obter o Certificado de Competências Pedagógicas, são necessários alguns documentos, sendo eles fotocópia do cartão do cidadão, o currículo atualizado e o certificado de habilitações. No entanto, o candidato tem que possuir no mínimo o 9º ano de escolaridade como habilitação mínima.

Metodologia PsicoSoma

A Formação Pedagógica Inicial de Formadores da PsicoSoma tem diversas ferramentas de apoio e aprendizagem. A formação à distância conta com 7 manuais, compostos por vários subtemas e capítulos, que permitem uma abordagem aprofundada acerca dos conteúdos programáticos definidos para a ação. Os manuais estarão à disposição dos formandos na plataforma Moodle PsicoSoma em formato PDF, podendo à medida que o curso se desenvolve fazer o download dos manuais em questão. Para além disto, a formação inclui vídeos exclusivos PsicoSoma, exploração de estudos de caso, exercícios de avaliação, podcast e artigos científicos.

As metodologias a adoptar assentam numa ampla esfera indissociável de diversas técnicas e ferramentas, que serão ao longo da formação os pilares da aprendizagem. Serão privilegiados um conjunto de manuais teóricos (para estudo), recursos pedagógicos de apoio especialmente concebidos, sessões de esclarecimento (formação online e em sala), e simulações de ensino-aprendizagem (análise e auto-avaliação de comportamentos pedagógicos).

A PsicoSoma tem uma série de recursos e atividades exclusivas: Manuais de Formação (com ISBN), Vídeos Tutoriais exclusivos, Dinâmicas como “Paralelo Pedagógico” ou “Perfil do Facilitador de TOPO” ou ainda “Quizizz Virtual – Técnicas e Métodos de Formação”, Podcast Motivacionais ou ainda Infografias temáticas.

Para todo o suporte e integração à distância a PsicoSoma utiliza a plataforma Moodle com atividades e recursos desenhados à medida, e ainda o apoio do G-Suite – Google Classroom, com recursos de comunicação síncrona como o Meet Profissional ou Zoom Profissional.

Referências Bibliográficas
https://formacaoformadores-ccp.pt/cap/cap-certificado-de-aptidao-pedagogica
https://psicosoma.pt/wp-content/uploads/2020/04/Programa_FPIF-2020.pdf
https://netforce.iefp.pt/pt-PT/WPG/Home/FPIF

APTSES e PsicoSoma em Parceria

APTSES e PsicoSoma em Parceria 800 800 Julien Diogo

A PsicoSoma estabeleceu uma parceria estratégica com a APTSES – Associação Profissional dos profissionais da Educação Social, registada em 21 de novembro de 2008.

Esta parceria oferece aos membros da APTSES condições especiais nos serviços e produtos PsicoSoma, consolidando assim a lógica organizacional de sinergias da PsicoSoma.

“O trabalho desenvolvido pela APTSES em prol do reconhecimento do Educador Social tem sido de elevada importância, faz todo o sentido a PsicoSoma apoiar os membros da associação que são um dos pilares chave para o futuro da sociedade”, afirma Julien Diogo, diretor da PsicoSoma.

Conheça as condições especiais para membros no site da APTSES em http://www.aptses.pt/

Livros Marketing Digital e ECommerce para Professores

Livros Marketing Digital e ECommerce para Professores 960 960 Julien Diogo

A PsicoSoma assume como um dos grande propósitos editorial a partilha de conhecimento científico e prático, assim, iniciamos uma nova ligação entre os conteúdos e os professores/facilitadores.

Com este serviço visamos encurtar as distâncias entre o conhecimento atual e a partilhas nas universidades, politécnicos, centros de formação, etc…

Os primeiros livros são referentes ao Marketing Digital e E-Commerce #1 #2 e #3, da coordenação de Jorge Remondes, livros dedicados ao Marketing Digital, Gestão de Conteúdos e Publicidade Online e ainda Web Analytics e Métricas para Redes Sociais, que conta com a participação de profissionais de referência, desde David Monteiro, a Sandra Firmino, Inês Amaral ou Karla Martins, entre outros.

Desta forma, se é professor, formador ou facilitador numa instituição pode usufruir dos resumos dos vários capítulos em formato power point e keynote para as suas sessões. Faça da obra Marketing Digital e E-Commerce a referência bibliográfica, e ganhe os resumos capítulo a capítulo para as suas sessões.

Para mais informações envie email para editora@psicosoma.pt ou contacte o 232 431 060.

 

PsicoSoma na bolsa de Entidades Formadoras Externas

PsicoSoma na bolsa de Entidades Formadoras Externas 800 800 Julien Diogo

A PsicoSoma faz parte da bolsa de Entidades Formadoras Externas do IEFP – Bolsa de EFE.

“No âmbito do processo de seleção de Entidades Formadoras Externas, para efeitos de integração na bolsa de Entidades Formadoras Externas no âmbito da Medida supra identificada, notifica-se, pelo presente, da admissão na bolsa de Entidades Formadoras Externas da PsicoSoma, nas áreas de formação e concelhos identificados no documento em anexo”, refere em notificação Glória Liberal Ferreira, Diretora de Serviços da Direção de Serviços de Emprego e Formação Profissional.

Quadro de Análise e Pontuação da PsicoSoma na Bolsa de EFE

Uma parceria com a Delegação Regional do Centro do IEFP, IP.

0ba0bfc1-6dac-4ec7-b0cb-11fed5dac11d

15 anos: PsicoSoma ruma ao Futuro

15 anos: PsicoSoma ruma ao Futuro 1080 1080 Julien Diogo

A Psicosoma, que desde 2004, projeta valores humanos, de inovação e qualidade nos seus serviços e produtos, comemora em 2020, 15 anos de existência. “Ao longo destes 15 anos o nosso foco foi essencialmente articular projetos inovadores, com validade e com aplicabilidade para todos aqueles que nos procuravam. Continuamos com esse foco e procuramos inovar”, afirma Fernando Rodrigues, CEO da PsicoSoma.

Hoje a PsicoSoma é um grupo com vários serviços e projetos associados, desde editora, com mais de 60 títulos em áreas como a Educação, Psicologia, Gerontologia, Marketing ou ainda Gestão, contando com autores de renome do panorama nacional, professores, líderes de opinião, técnicos de saúde, entre outros.

A PsicoSoma é para muitos de nós hoje sinónimo de formação profissional, da Formação de Formadores, das Pós Graduações em NeuroEducação e Neuromarketing, e outras áreas que contam com os temas e autores das obras PsicoSoma. Segundo a Dora Gouveia, gestora da formação PsicoSoma “Um dos elementos chave do sucesso da formação continua a ser o elemento humano, a proximidade, a preocupação e claro o crescimento pessoal que é o objetivo de todos os nossos facilitadores”, reforçando que “Estamos cientes e sempre articulados com a DGERT e o IEFP, entendidas que pautam a qualidade das formações”.

“O ano de 2020 marca igualmente o surgimento de um novo projeto, a expertMind®, um projeto de plataforma elearning de formações especializadas num formato totalmente elearning. “Procuramos responder ao mercado e as necessidades, de aprender mais e melhor, mais eficazmente. Criarmos uma metodologia exclusiva para o elearning através do expertMind, onde o microlearning, os suportes como podcast, vídeo ou jogos são o mote”, indica Julien Diogo, CCO da expertMind e da PsicoSoma.

Encontramos ainda na nossa Spin-Off ICN Agency® a forma de dar vida à Neurociência Cognitiva Aplicada ao Consumo, onde viajamos pelo mundo, do Brasil, ao México, Colômbia, passando pela África do Sul e Portugal, desenvolvemos projetos inovadores com recurso à ferramentas de Neuromarketing. Apoiamos estudos em áreas como o agro-alimentar, bebidas, banca, retalho ou ainda seguros, sempre na procura de envolvimento emocional.

Atualmente, o grupo PsicoSoma está presente em Portugal, Colômbia e Brasil, onde marcamos presença pela via de parcerias com universidades e empresas, permitindo o desenvolvimento de projetos formativos e empresariais muito interessantes.  

Para Fernando Rodrigues, “a comemoração destes 15 anos é diferente do que era esperado devido à pandemia mundial que representa o Covid19, mas não deixa de ser especial. Em dois meses conseguimos dar continuidade, criar novos serviços, novas formações, agilizar novos meios de comunicação, e olhamos para o futuro com positividade, contamos com o apoio da equipa PsicoSoma e dos nossos facilitadores de TOPO”.

O ano de 2020 ficará marcado por vários eventos online em áreas como Educação, Psicologia, Marketing entre outros, com webinares grátis, eventos como Congressos e ainda a disponibilização de vários conteúdos de valor para o enriquecimento de cada seguidor PsicoSoma.

De modo a marcar o nosso rumo para o Futuro, Inovação e Conhecimento, desenhamos um novo slogan “Emotion Trainers for Expert Minds”, onde a humanização dos serviços, produtos e experiências será o foco.

Fechar Carrinho
Back to top